Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Furacão de Quimeras

Tal furacão de escuridão, incontrolado e insano,

Que tudo arrasta em louca e demente cavalgada,

Atordoante e ruinosa na terra agora escalavrada,
 
Assim fui eu na minha navegação a todo o pano...
 
 
Velas de quimera, desfraldadas ao mar, sol e vento,
 
Para longe tal marinheiro quinhentista, o mar arrostei,
 
Tão longa a viagem, tanta coragem, e perigos enfrentei,
 
Mas tempestades me fizeram naufragar no mar cinzento.
 
 
 
Turbilhões de água salgada, fundos abismos oceânicos...
 
Monstros marinhos povoam pesadelos na madrugada...
 
Tento não sobraçar nos medonhos turbilhões titânicos..
 
Tento não esquecer que um dia fui de alguém a amada...
 
 
Caudais de lágrimas caem de meus olhos outrora risonhos,
 
E agora só pesadelos de abandono povoam meu sonhos...
 
Como não sobraçar de vez nas longas torrentes de espuma,
 
Como não abandonar as ilusões dementes, uma a uma....
Arlete Louro
Enviado por Arlete Louro em 19/06/2005
Código do texto: T25923


Comentários

Sobre a autora
Arlete Louro
Alpiarça - Santarém - Portugal, 64 anos
245 textos (37378 leituras)
3 áudios (202 audições)
5 e-livros (297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/07/20 23:31)
Arlete Louro