Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ZERO A ZERO

ZERO A ZERO

Elane Tomich

Este sertão zero a zero...
Estas mãos que se parecem
galhos nus em prece ao sol.
Vazia, esta prece perdida
acerta a espera com esmero
na fila dos que padecem.
Esta multidão zero a zero
aumenta as vezes no rol
do mínimo mútiplo comum
das penas da sobrevida
que dão asas à vergonha.
Meus dois vales zero a zero
nesta orgia de sol,
nesta fartura escondida
no canto do bem-te vi,
no canto do quero-quero,
no canto de muitos cantos
nas mágoas do Mucuri
sulcos do Jequitinhonha
onde a água é pedra e pranto.
No mapa da geografia,
o fim da cidade é fria.
Século e meio zero a zero
meio mundo , mundo inteiro
um não quero, outro espero.
O trem parou em janeiro
pra sempre, estação do empate
Desejo no despenhadeiro
cai, sem direto a resgate.
Elane Tomich
Enviado por Elane Tomich em 28/06/2005
Código do texto: T28768
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre a autora
Elane Tomich
Teófilo Otoni - Minas Gerais - Brasil
319 textos (12858 leituras)
1 e-livros (128 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/07/20 03:33)
Elane Tomich