Simbora!


Rosa Pena


Vou soltar meu grito,
sem invasão,
apenas agito,
sem a chama da disputa,
nem sujo na camisa,
do suor da luta.
Sentada no banco,
roendo as unhas,
doeu minha bunda,
fiquei até corcunda.
Nada mais eu estranho,
apenas mais um dia,
com a esperança em banho- maria.
Mas, até terça- feira,
caio na folia.
Na quarta, volto pra pedreira.
Agora?
-Bota uma brahma na geladeira.

30 de janeiro de 2005
Rosa Pena
Enviado por Rosa Pena em 31/01/2005
Reeditado em 31/10/2008
Código do texto: T3051
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.