Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aquém do “panem et circenses”

Cordeiros viraram lobos.
Embriagaram-se
com cálices de vinho.

Nem rezam por seus ideais
Que jazem
nos porões sombrios.

Há um silêncio que perturba
àqueles que faziam a hora.
Diziam mais com a boca amordaçada
nos tempos rudes de outrora.

A opressão ganhou um colorido
das telas dos aparelhos de TV.
Um ópio que aliena
espectadores das tardes de domingo.

Como olhar para o horizonte incerto
com um vazio inquietando a retina.
Ver sofrimento da dor de quem trabalha
e impunidade a favor da tirania.

A liberdade abandonou seus véus
não mais se morre
por ter uma opinião.

Porém, zombam os ecos da censura
do desperdício
da liberdade de expressão.

Os sonhos continuam os mesmos,
apesar de novos paradigmas.
Ter um trabalho para ganhar a vida
Beijar a esposa para dar sentido a tudo.
Hermison Frazzon da Cunha
Enviado por Hermison Frazzon da Cunha em 24/11/2011
Código do texto: T3354808
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Hermison Frazzon da Cunha www.recantodasletras.com.br/autores/mano). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hermison Frazzon da Cunha
São Leopoldo - Rio Grande do Sul - Brasil, 39 anos
103 textos (30110 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/06/19 06:32)
Hermison Frazzon da Cunha