Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUEM QUEIRAS SER

Durante muitos anos eu brinquei da brincadeira do Morto-Vivo:
- Morto!
- Vivo!
- Morto!
- Vivo!
- Vivo!

Ah, te enganei...

- Morto!
-Vivo!
- Morto!
- Morto!

Ah, te enganei de novo!
-Tu não aprendes nunca...
- Eu te engano sempre!

Morto-Vivo, meu amigo(a),
Não percebes que o teu estado é o morto-vivo
E vivo ou morto depende de ti  nomear?

Faz tempo que eu aprendi que eu estou na linha entre os vivos e os mortos...

Ah, verso comprido como esse
O verso de estar na linha:
Poetar para os dois lados...

Lá os meus irmãos também me chamam de Poeta
E amam a minha poesia,
Não há e-mails, mas,
Deixam os seus recados e
Como rimos dos seus recados:
Nossa comunhão nessa linha....

Às vezes eles me ensinam lá,
Ás vezes, me ensinam aqui...

E eu te digo, se morto ou vivo
Não me importo:
Poetei para ti...

E tu, morto-vivo como eu,
Pensas que não sei
Da tua existência de ave rara
Nesse mundo em que nunca nos encontramos?
Chico Steffanello
Enviado por Chico Steffanello em 30/01/2007
Código do texto: T363998

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chico Steffanello
Sinop - Mato Grosso - Brasil, 61 anos
240 textos (28743 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 01:56)
Chico Steffanello