Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Nem sempre aquilo que se acredita
Se pode ver
Nem sempre aquilo que se vê
Se pode acreditar
Nem sempre aquilo que se quer
Se pode ter
Quase sempre as aparências
Insistem em enganar

Nem sempre é fácil conseguir encontrar
As pedras que faltam em um quebra-cabeça
E quando se encontra nem sempre se tem
O tão esperado resultado
Nem sempre desistir é sinônimo de fraqueza
Quase sempre o pudor faz alguém ficar parado, calado


Nem sempre sorrir
Significa estar feliz
Quase sempre os olhos expressam
O que o resto do corpo diz
Quase sempre sexo
É feito sem amor
Nem sempre bastam poucas palavras
Para poder ser um bom entendedor


Juliana ladeira
Enviado por Juliana ladeira em 09/02/2007
Reeditado em 18/12/2008
Código do texto: T374534

Comentários

Sobre a autora
Juliana ladeira
Recife - Pernambuco - Brasil, 35 anos
107 textos (35765 leituras)
22 áudios (1480 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/09/20 00:42)
Juliana ladeira