Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESQUECIMENTO

ESQUECIMENTO

Vai o azinhavre do tempo, carcomente
Se deliciando com meus anos,
Deixando uma nódea
Que não há vinagre com sal que limpe
Por mais que se esfregue
Ou renegue aos cabelos brancos
Muriaé de Minas vai sendo
                                esquecida.
Aos poucos, torna-se um
                                branco
Na memória. Mauro, o irmão
                                mais
Querido, pai de dois gênios
Ao passar por lá, sequer
                                olhou
Sequer virou os olhos ou o
                                pescoço
Para ver Muriaé de minas
Que o azinhavre do
                                esquecimento
Na memória devorou.
Não culpo ninguém por esquecer
A “Nuvem de Mosquitos”,
A velha casa que dava para o rio
Que era mar; o abacateiro,
A mangueira nos fundos da casa;
A goiabeira, vermelha, cheirosa
Onde se pensava morarem fantasmas.
Nada ficou guardado para
                                que se possa
Lembrar:m o porão foi
                                soterrado;
As árvores frutíferas, as
                                taiobas
De D. Olívia, que delicia,
                                arrancadas
Ficaram sangrando,
                                certamente
Com suas raízes expostas ao
                                sol quente muriéense.
O casarão – A Venda – agora é
Moderno armarinho onde se
Vende de tudo, de fazenda a ferragem
De adubo a formicida.
Mas lá não há um remédio para ativar
A memória, ou anti corrosivo
Capaz de limpar a nódoas do azinhavre
Do tempo que, aos poucos, tempovagarmente
vai esfumaçando as lembranças
que não deveriam ser esquecidas
para que não ficasse tão sem sentido
o que resta da vida.
jgmoreira
Enviado por jgmoreira em 10/02/2007
Código do texto: T376557


Comentários

Sobre o autor
jgmoreira
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 61 anos
447 textos (4101 leituras)
122 áudios (2981 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/20 20:38)
jgmoreira