Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Indesistência

Fazer luzes em teus brincos
Ver os sorrisos na minha memória
Imaginar que se desocuparia pra ocupar-se comigo

Você tão mulher me vendo como tão menino
Preocupada com tão pouco
Enquanto envelheço nas preocupações verdadeiras

Você tão seria, eu tão criança
Eu tão palhaço, você tão donzela
Eu tão inconformado
Você tão rotineira
Eu tão fraco você tão covarde

Eu luto você corre
Te procuro, você se ausenta
Tanto a te contar, tanta vontade de me ver calado
Tanta espectativa, eu não te entendo

Eu apressado, você assustada
Eu atípico você realista
Eu insistente, você fria
Eu esperançoso, você arranca minhas asas a cada dia

Espero por você mais uma vez
Bato na porta, ninguém me atende
Ela se fecha a cada minuto
Nem rumor de tua presença do lado oposto
Mudara-se ou fugira de mim?

Tanto a se fazer e tão pouco tempo
Tanto a ser dito e tão poucas oportunidades
Agracejada fostes tu em vida
Mas não soubera apreciar o gosto da respiração

Vejo elas errarem, vejo eu insistindo em querer ajuda-las
Vejo tudo tão longe e sempre eu querendo tornar tudo real
Força-me a ser fraco, queria te ter perto de mim
Difícil entender que a amizade vale mais que tudo isso
Não consegui até hoje entende-la, não faço a menor idéia de como seus pensamentos se organizam ai dentro
Mas gostaria tanto de tentar saber um pouco de sua vida

Ainda não entendestes o quanto isso vai ser grande
Mas graças a Deus eu sou chato e você só poderá se livrar de mim após ouvir algumas coisas
Até lá você vale a pena
Até que me prove o contrario, ainda vou querer estar em sua vida
Toda essa enigmatia por trás do mas belo sorriso, toda essa segurança e confiança
Só podem esconder uma mulher incrível, não posso eu crer que seria só isso,
Só uma menina assustada fugindo pela falta de conteúdo a se expressar
Prefiro buscar teu segredo e animar-me sozinho já que não me das esperança alguma dia após dia

Mais uma madrugada em que me desperta para escrever
Não deixarei que nada se torne em vão
Construo hoje a historia a ser contada daqui a décadas
A faço gloriosa e sem a sua ajuda a moldo pouco a pouco, são lutas e vitórias
É a conquista de conquista-la mesmo que você não baixe a guarda um minuto se quer para que isso se torne possível.
rOg Oldim
Enviado por rOg Oldim em 06/03/2007
Código do texto: T402644

Comentários

Sobre o autor
rOg Oldim
São Paulo - São Paulo - Brasil, 32 anos
185 textos (6842 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/09/20 22:38)
rOg Oldim