Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

M O T I V O S . . .

"Ainda bem que nasceste para a poesia,
 ou será que foi ela que nasceu para ti?"
(Obrigado, Milene Gomes)

M O T I V O S . . .

Quando falo na morte
Lembro o funéreo lamento
A dor, o choro, o sofrimento
O luto da despedida
Desperto...
Estou vivo na vida. Ainda!

Nos jornais da TV
Nas manchetes bombásticas
Nas esquinas fantásticas
Uma bala perdida
Estremeço...
Estou vivo na vida. Graças!

Na crise que paira
No povo com fome
Lume do futuro que some
Sem túnel pra saída
Agonizo...
Estou vivo na vida. Continuo!

Os vivos que sepultem os mortos
Que saciem a sede dos sedentos
Que matem a fome dos famintos
Que resolvam a crise. Façam a lida.
Por isso...
Estou vivo na vida. Sorte!

28/03/2009 - DILSON - NATAL/RN.
DILSON POETA
Enviado por DILSON POETA em 19/06/2014
Código do texto: T4850286
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.

Comentários

Sobre o autor
DILSON POETA
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 68 anos
1862 textos (100429 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/19 17:11)
DILSON POETA