Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Arauto


Apregoei verdades indizíveis
aos ouvidos ressabiados dos passantes,
mas não se detiveram;
nem me ouviram...
Passaram.
E tudo ficou como era antes.

Eu quis inculcar nas moucas mentes
as palavras do fim de um quase-início;
e riram-se de mim – indiferentes...
Ó precipício! Eu não te soube o fundo e ainda caio;
trespasso um mundo condenado,
mas do outro lado não saio...
Poeteiro
Enviado por Poeteiro em 02/10/2005
Código do texto: T55622

Comentários

Sobre o autor
Poeteiro
Santos Dumont - Minas Gerais - Brasil
440 textos (11470 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/10/20 16:59)
Poeteiro