Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Cantos do agora

Sejas como o véu das noites
Poeta que adentra a madrugada
Com teus versos como açoites
Liras de partida e de chegada

É da arte que brota da alma
que se cria o poema
É da parte que sobra da calma
que se vive em dilema

Sejas como a luz da aurora
Profeta que anuncia o novo dia
Com teus "cantos do agora"
Glosas da aventura e da utopia

É da arte que brota da alma
que se cria o poema
É da parte que sobra da calma
que se vive em dilema
Heldemarcio
Enviado por Heldemarcio em 10/10/2005
Código do texto: T58357


Comentários

Sobre o autor
Heldemarcio
Recife - Pernambuco - Brasil, 58 anos
48 textos (1670 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/20 22:26)
Heldemarcio