Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FOI NO BRILHO DO COPO


Que a soberbia se infiltrou
E a festa continua
Garrafas e garrafas sendo despojadas.
Da alegria iniciante surgindo o soberbo ser
Hora escondido, sarcástico!

E o assombro se apossa em virtudes desviadas.
Perdi os meus direitos, adormecida em algum canto
mesmo estou.

Olhos cegos enxergam!
O que?
Ouvidos surdos e velozes.
Delatam códigos!
Como?

Boca maldosa, espuma crendices
Com que velocidade sai-se no discurso
Jogos e trejeitos de corpo circulam
Energia veloz abrindo espaço
Vendo o fogo se expandir

É vida escondida, mascarada, adormecida
Que nós mesmos queremos esquecer.
Sendo sem ser, ser não sendo ser
Face oculta mesma.
Neste desfalecimento ao florescer o outro.
Neuza Ladeira
Enviado por Neuza Ladeira em 30/08/2007
Código do texto: T630241

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Neuza Ladeira
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil, 67 anos
259 textos (4922 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 08:29)
Neuza Ladeira