Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Soneto XIX

Eu bebo é do veneno mais forte
Não há vodca que me satisfaça
Os fracos se entorpecem de cachaça
Bebo o escarlate que sai do corte.


Não perco meu rumo no norte
E a cachaça não é tão escassa
E não há veneno que me faça
Chegar tão perto da morte.

Eu bebo é do veneno mais forte
E na linha que sempre você traça
Não ando, pois vou ao norte.

Gosto daquilo que me ameaça
Gosto de andar junto à morte
Gosto da maldição, você da desgraça.
Júnior Leal
Enviado por Júnior Leal em 14/03/2005
Código do texto: T6618


Comentários

Sobre o autor
Júnior Leal
Lagoa Santa - Minas Gerais - Brasil, 35 anos
958 textos (33183 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/08/20 12:19)
Júnior Leal