Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O GATO, O BOLO e AMOR POR POÇÃO OU OPÇÃO?

O GATO

Eu com 10 anos quis bicho de estimação
E minha mãe constantemente eu inquiria
"Mamãe, me deixa criar um gatinho um dia
Ou pode ser um cachorrinho fofo então!"

A minha mãe, com paciência me ouvia
E decidiu um dia passar numa loja
Naquelas que aquele cheiro ruim aloja
Só pra satisfazer aquilo que eu queria

Ela nunca desiste, faz de tudo, arroja
Qualquer trabalho pra ela lhe é viável
Simples doméstica, mas de um jeito amável
Nenhum serviço para ela a entoja

De manhã sai bem cedo, mas fato notável
Aconteceu quando olhou numa vitrine
Achou um bicho barato, o que define
Que minha noite seria bem agradável

Ela me deixa na casa da tia Carine
Pois ela volta do trabalho muito tarde
E nesse dia, criança que faz só arte
Fiquei cansado e disse: "Sono, me domine"

Dormi a tarde toda e nem fiz alarde
Que acabei acordando lá de noitinha
Eu percebi que mãe já estava deitadinha
E desci de mansinho a escada no aguarde

"Será que trouxe o bicho, minha mãezinha?"
E de repente vi uma caixa de sapato
Abri a caixa e pra minha surpresa um gato
De olhos claros e a cor amarelinha

Eu vi meu pai aparecer com sono inato
E disse: "Olha a surpresa que sua mãe trouxe!"
Eu o abracei tão forte que pensei que fosse
Abarrotar sua roupa de pai pacato

Peguei meu gato e brinquei por toda a noite
Meu pai me disse: "Só não vai fazer barulho"
Eu distraído derrubei certo "bagulho"
Que tive medo de depois levar açoite

Larguei o gato e pra cama fui afoito
Já era lá pra 4 da madrugada
Eu acordei às 11 com mamãe amada
Com leite, bolo e um pacote de biscoito

"Filho, pra ti tenho uma coisa guardada!
E era aquilo que você tanto queria"
Eu abracei mamãe e disse: "Já sabia
Passei brincando com ele a noite passada!"

Aí falei que papai disse: "Só vigia!
Pra não fazer barulho com esse gato
Então fiquei brincando quieto, estupefato
Com a surpresa que a mim meus pais faziam!"

Mamãe pulou da cama como visse rato
E seu olhar lhe pareceu meio assustado
Saiu do quarto e trouxe pra mim embrulhado
Numa cestinha algo bem maior de fato

Quando eu abri, fiquei um pouco impactado
Pois era um cachorrinho que tinha lá dentro
Ela me disse: "Eu comprei ele no momento
Que vi na loja e achei do seu agrado!"

Agradeci mamãe pelo lindo presente
E ela disse que meu riso a satisfaz
Mais tarde com o cãozinho brinquei muito mais
Até de noite e eu ir dormir novamente

Só hoje eu estranho algo contumaz
Ter visto um gato naquela simples caixinha
Ou foi o fato de mãe me criar sozinha
Porque meu pai morreu faz 10 anos atrás?

*********************************************

O BOLO

Num aniversário meu
Ocorreu fato intrigante
Um instante aconteceu
Que me deu verso em montante

Era uma linda festa
E foi nesta que vivi
Eu senti tal dor funesta
Que moléstia quando vi!

Meus amigos que chegaram
Alegraram o ambiente
O presente revelaram
Deixaram-me bem contente

A família que eu tenho
Um desenho a resume
De costume sempre venho
Sem desdenho trago a lume

Meus pais estão separados
Um bocado isso já sabe
Coração abre aos dois lados
Desenhado assim que cabe

A festa tinha de tudo
Barrigudo se fartava
Doce achava, torta, o mundo
De presunto e pão sobrava

A melhor parte da festa
Ora essa? Era o bolo!
Que só tolo nega esta
Parte excelsa de consolo

Eu estava ansioso
Curioso pra come-lo
Pois ao ve-lo, tão gostoso
Receoso de perde-lo

Porém nessa bela hora
O que aflora é o parabéns
E que tem juízo agora
Não cora a cantar também

Imagine aqui somente
Quais ingredientes usam
Que difusam-se realmente
Docemente lá se cruzam

Açúcar, manteiga, sal
Com o qual se usa ovo
Como um povo lindo e tal
Tendo o aval meu de novo

Eu gosto de chocolate
Quando parte é mais macio
Pouco frio que a boca trate
Tal alicate num fio

Um dos meus pais que viriam
Que traria o meu bolinho
Não adivinha o que olhei?
Dois bolos no dia ganhei
Quando o bolo chegou sozinho.

**************************************************

AMAR POR POÇÃO OU OPÇÃO?

Peguei-me perguntando sobre o amar...
E seus enlaces, velhos, mas tão novos.
Um sentimento que a todos os povos,
Quando é vivido, faz tudo mudar.

Quando criança vieram contar,
Estórias sobre uma poção do amor...
Que quem bebesse, seja lá quem for,
Seria amante de quem o encontrar.

Agora vejo que a poção resiste...
Porém só tem um fato meio triste,
Mudar a ordem das letras, se possa.

Pra ver que a necessidade insiste...
Mas não por mágica que o amor existe,
A O-P-ÇÃO de amar sempre foi NOSSA.
Leandro Severo II
Enviado por Leandro Severo II em 24/05/2019
Reeditado em 21/08/2019
Código do texto: T6655293
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Leandro Severo II
São Paulo - São Paulo - Brasil, 26 anos
106 textos (5837 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/01/20 09:56)
Leandro Severo II