Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Devoro-te

Ao Esfinge de Zeca Devebec:
http://www.recantodasletras.com.br/poesias/662570


Eu te sorvo
No mistério dos meus olhos
E nas palavras que esqueço
De te contar
Nas areias do meu tempo
Nas torres das minhas coxas
Que guardam meu templo
E o meu avatar
Onde ajoelho nas orações
Repetidas da minha cela
Vestida do ouro de um sol sem peias
Guardado dentro do túnel escuro
Da minha funda cancela
Que exala perfume ao teu homem
Meu predador natural
Que busca o que enclausuro
Me desejando em suas veias
Com o fogo e raios que me consomem
Com os demônios que em mim levitam
E me vagam enquanto trituro
O primitivo animal
Que dentro do teu ser te agitam
Nas eras idas de memórias antigas
Do não vivido mas tão vivo
Que te faz aflito
Em conflito
Tentando desvendar
Um enigma tão fácil
De um abismo tátil
Que engole com paixão
O que me quer adentrar
Pelo vão

Se do pó viestes,
Pelo meu mel retornarás
Enquanto o devoro
No que em mim
Quer se revelar.

http://versosprofanos.blogspot.com/
Maria Quitéria
Enviado por Maria Quitéria em 24/09/2007
Código do texto: T666615

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (http://recantodasletras.uol.com.br/autores/mquiteria). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Quitéria
São Paulo - São Paulo - Brasil
1098 textos (345126 leituras)
1 áudios (2465 audições)
4 e-livros (3954 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 20:40)
Maria Quitéria