Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEJAM BEM VINDOS AOS MAUDITOS VERSOS CONTRA O AMOR


     DIANTE DO ESPELHO ABRINDO MEUS PULSSOS PAREI DE RESPIRAR
                          A LUZ NÃO VAI MAIS ENTRAR
                             COM A MAUDIÇÃO DO AR
         QUE NÃO TEM COMO TIRAR A CRUZ DO MEU ROSTO.

      ME VI MORRENDO, CAINDO NA ESTANTE E VIVENDO PELO RESTO DESTE MOMENTO.
                      EM QUE A SOLIDÃO SE FAZ AUSENTE,
                     POIS O INVERNO NÃO TARDA A CHEGAR.
                       
                                DIANTE DO ESPELHO
             ME VI NO ESCURO COM O ROSTO PARDO E SEM AMOR,
                  TRADO POR SONHOS QUE PORTAM ESTA DOR.
                     ESPEREI CALADO A LUZ QUE SE ACENDE,
                                SEMPRE QUE A GENTE.
                      PERDE O ARCO EM UM NOVO OLHAR.

                     AINDA HOJE DEIXA TANTOS RECADOS .
              QUERIA TE VER MARCHAR POR MAIS UM MINUTO.
                 LUTAR CONTRA ESTE BURRO GIGANTESCO,
                 E SEUS ABRAÇOS SE FARIAM MEU ESCUDO.

             SOU UM ENTRE MILHÕES, COM MEDO DAS MUTIDÕES
                      VEJA É A REVISTA DE TÚRISMOS,
                  MOSTRANDO TANTOS LUGARES BONITOS.
                  PARA IRMOS QUANDO CHEGAR DOMINGO
           E NOSSOS NETOS ESTIVEREM EM COLÔNIA DE FÉRIAS.
DIEGO HUXLEY
Enviado por DIEGO HUXLEY em 03/10/2007
Código do texto: T678973

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DIEGO HUXLEY
Sobradinho - Distrito Federal - Brasil, 30 anos
221 textos (11183 leituras)
1 áudios (42 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 09:04)
DIEGO HUXLEY