Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BUSCA


Ontem acordei cedo
Olhei pela minha janela e nada vi
Nem flores
Nem sol
Nem o oceano
Apesar de eu ouvir o barulho das suas ondas
Cadê os olhos do poeta?
Cadê o poeta?
Sai em busca desse
Meu único e verdadeiro amigo
Que suporta meus momentos de fúria
Minhas ingratidões e
Meus desvarios
Revolvi minhas contas
Meus problemas
Minhas tristezas
NADA
Senti-me abandonado
Fora embora com as alegrias
Com o riso
Com as esperanças
Fiquei sendo o único sobrevivente
De mim mesmo
Quantas vezes discutimos
Brigamos
Mas sempre fizemos as pazes
Mas agora ele se fora
Sem uma palavra de adeus
Deixou-me assim como um objeto
Usado e condenado a reciclagem
Mas como me reciclar sem o poeta que guiava meu
Velho e sofrido coração
Por favor,
Quem encontrar o poeta peça que volte
Que traga de novo o riso que me roubou
E a alegria que tirou de mim
Porque sem mim
Ele também não pode ser poeta.
Joban
Enviado por Joban em 15/10/2007
Código do texto: T694773
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Joban
Ubatuba - São Paulo - Brasil
153 textos (4087 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 09:50)
Joban