Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Em Umarizal...

Em Umarizal é assim meu patrão
Tô chegando pra falar
Ou melhor pra budejar
Mastigar um sebo
Prosar
Latir pra você escutar
Que homem virtuoso é caba bom
Mulher bonita, é Motor, outros chamam Paredão
E tem os mais antigos que chamam de famosa
A mulher que é de postura a mais formosa
Devo também me lembrar
Que lá baile é Suarê
E que vossa mercê foi trocado por "esse homem"
Que fazer supermercado é fazer feira
Que inteligente é caba quente
Namorador é arrochado
Bravo é invocado
Se irritar é dar brabo
Se decepcionar é desgosto
E Festa tradicional é o lual de Agosto
Festa de velho é seresta
Festa do mês inteiro
É a festa do padroeiro
Que omelete é malassada
Coceira no ovo é curuba
E um caroço é Mucuim
Pense numa coisa ruim
Pra doer o dia inteiro
Bucha são os cabelo ruim
Todo mundo é nego, neguim
Neguinha, Loira lá é Galega
Mas não escapa de forró
Sem receber um "venha cá minha nêga"
Inquietação é farnizim
Doce demais dá ripunança
Espancar é triunfar
Todo prefeito é barão
todo amigo é patrão
E toda mulher é princesa
Mas mulher feia é dragão
homossexual é baitola
Mas também tem a tal da sapa
No mato se vê preá, raposa e maritaca
lá se come farinha, mas só sendo de cuscuz
Come-se carne boa
Gastador é Estribado
E preguiçoso é à-toa
Aproveitador é Marreteiro
E disso lá tá cheio
Lá conto é dinheiro
E conto lá é real
Inda tem umas pessoas
Que quando cobra pede em pau
Mas há quem se diverte, quem é artista
E que faz coisa legal
Encantando todo povo
Como todo ano que é novo
Que se realiza o Sarau
Dia de Feira é dia bebo
Lugar de voto é na rua nova
Ah! e por falar de voto
Em campanha política
Ou se é Bicudo ou Bacurau
Ou então pode entrar pra turma do marretal
Mas não posso deixar de falar que aqui em nossa cidade
Política é paixão nacional
Afinal quem nunca foi num comício ou numa carreata
E agora tem a nova que é o tal do arrastão
É tanta gente correndo, que quase que falta chão
Voltando a falar nas comidas
principalmente as do São João
Pomonha, Milho verde, canjica
Baião de dois aqui é rubacão
Passar o pano na casa é estopar
E bolsa de couro é caçoa
Masturbação lá é pecota
E gritar outro é engolir
Mexer com algo é bulir
E desobediente é Maluvido
Se acidentar é fazer "um arte"
Se recuperar faz parte
E ir de noite pros "Colégio"
Nunca de noite há tédio
E muitas outras que não consigo recordar
de tudo isso e mais um pouco está cheia Umarizal
E agora eu vou capar o gato, pegar o beco
vou chegar, vou descer
vou dar um parangolé
E me complete com mais coisas
Tudo aquilo que couber.

Tiago Rodrigues de Brito
Enviado por Tiago Rodrigues de Brito em 31/10/2007
Reeditado em 06/11/2007
Código do texto: T717736

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Tiago Rodrigues de Brito
Umarizal - Rio Grande do Norte - Brasil, 30 anos
57 textos (3455 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 02:46)