A pergunta esquecida

Para onde devemos ir, quando acordamos de um sonho?

Naquele lugar onde ninguém existe, fomos feridos pelo bem de alguém Sinto falta desse momento nostálgico, não há problema em vê-lo através das lágrimas, refletidas em olhos imaginários

Se você está sonhando então não acorde era o que eu dizia para mim mesmo, agora eu peregrino sozinho através da escuridão formemos a cena do pecado

Cantando e dançando ao escurecer, pintando num profundo tom de preto Como se estivéssemos virando cinzas, pela minha insistência no amanhã Esqueço as coisas e as arrasto até o fim

Ouço o som da porta se abrindo, em que cor será refletido o mundo que eu vi nascer, este paradoxo teve sua cor alvejada

Abraçando a sólida verdade, vou em direção a um contraste invertido

Yuri Cabral
Enviado por Yuri Cabral em 22/07/2021
Código do texto: T7304638
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.