O manifesto do eu

Alguém está bem, então tem alguém aí?

Não há uma voz, mas um conjunto de olhos estava em mim

Eu estava curioso sobre o que estava do outro lado

O silêncio está escorrendo em minha cabeça, dentro deste reino de loucura, adeus ao feitiço

A noite foi desvendada com seus gritos e choros silenciosos

Transbordando em um mundo monocromático em que as cores não existem, manchado pelas mentiras

O demônio dentro do meu coração, sem dúvida nunca vai me perdoar

então eu jogue fora essa forma humana

Mas eu nunca vou jogar fora a prova, de que ainda estou vivo

Os talentosos que entendem a solidão é há são os subordinados que limpam suas tristezas, melancólicos que escolhem o amanhã, todo mundo está desesperadamente esperando pela mão que irá salvá-los

A verdade está escondida e realmente não pode ser encontrada

Eu tento lembrar, mas nenhuma emoção sai

Por que estou chorando quando não tenho uma razão para isso?

Eu me enterrei profundamente e perdi todo o vazio e estagnação

Acostumado a revelar um sorriso, mesmo que seja mentira, deixe-me obter redenção não me lembro de um único papel para o qual fosse adequado, puxe a linha que você não consegue ver

Puxando as cordas invisíveis, o homem atrás da cortina aparece

O que esses olhos capturam?

Yuri Cabral
Enviado por Yuri Cabral em 24/07/2021
Reeditado em 26/07/2021
Código do texto: T7306395
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.