Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

De quando o mundo me atacou

Eu estava inerme
a cara imberbe
as mãos mergulhadas no vidro:
completamente imóvel.
É.
Eu continuo nua
o frio abre a pele
as marcas perfeitas profundas
corte raso profano
barulho indeciso
não se sabe pr'onde olhar!
Mas onde se sente
não se racionaliza
nem economiza
se derrama, declama:
grita, assusta, empurra e puxa!
Talvez, mergulho denso.
Talvez, molhar descontrolado.
Talvez: é respirar congestionado
Grito no plástico
Sufoco atmosférico
Laís Romero
Enviado por Laís Romero em 28/11/2007
Código do texto: T756040
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Laís Romero
Teresina - Piauí - Brasil, 31 anos
23 textos (701 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 04:25)
Laís Romero