Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM TEXTO INTERIOR


De vez em quando,
a mulher perdida no íntimo
das palavras perplexas da poesia,
interpretou, à sua maneira, os versos
que lhe caíram ao colo do seu Interior.


Quanto mais ela lia
mais seus olhos cresciam,
quando mais desnuda a menina
a sua pulsação em picos desvairava
por mas desconhecida a lida palavra
por mais sem sentido a frase, a idéia
por mais inverossímil fosse o contexto

Uma poesia, uma recaída de hábito,
aguçara o sentido da interiorano Beatriz
para os descaminhos da assustadora Capital.

Uma janela se abriu para ver o rosto dela,
uma voz sem abstração cortou o silencio
e lhe fez falar, falar e falar tanto,
mesmo sem a mesma musicalidade de antes,
que, cuidadosa, advertiu ao catador de papéis
para ter cuidado com os rabiscos das folhas
que vão para o lixo sem devidamente lidas.

Feliz, Beatriz, saiu para falar com a vida,
deu um passo para fora de casa
brincou de criança no coreto
e, construindo sonhos lidos,
se perdeu pelas cidades.
Djalma Filho
Enviado por Djalma Filho em 23/03/2005
Código do texto: T7571
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Djalma Filho
Salvador - Bahia - Brasil
662 textos (20861 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 31/05/20 07:50)
Djalma Filho