Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Que se transformavam em poesias

Que secaram-me as lágrimas,
disso eu já sabia.
Mas secaram-me, no entanto,
as palavras que por encanto
eu transmutava em poesias
(pobres poesias, sim, porém sinceras).

Secou-se tudo, secou-se a dor,
o bem querer e a saudade,
o esperar com ansiedade,
e nessa infinitude de secura,
secou-se a ternura,
o dom de amar e a magia,
a tristeza e a alegria,
o riso, a nostalgia,
o medo e o acalanto
e para meu maior espanto
teu nome não mais pronuncio.

Na fartura de tanto secamento
para que falar de sentimento?
E se não há mais desalento,
também me falta esperança,
e de tudo o que não mais me alcança
perdeu-se uma alma de criança,
e daquilo que um dia foi risonho
o que mais me falta é um sonho.

Lucas Castro
Enviado por Lucas Castro em 30/11/2007
Reeditado em 13/10/2008
Código do texto: T759712

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Você deve citar a autoria de Lucas Castro e o site www.eporfalarpoesias.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Lucas Castro
Novo Hamburgo - Rio Grande do Sul - Brasil, 56 anos
157 textos (6215 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 02:45)
Lucas Castro

Site do Escritor