Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O SERTÃO PEDE SOCRRO

Olho pra baixo tristonho
E vejo um cenário medonho
Um deserto de cinza e pó;
Parecendo um filme de terror
Silhuetas fantasmagóricas sem vigor
Dançando de uma perna só:

São mulheres maltrapilhas e desditosas
Que venceram distâncias monstruosas
À procura de correntezas;
Retornam cansadas e sedentas
Trazendo águas barrentas
E cheias de impurezas.

Vejo nas camas desarrumadas
Corpos esqueléticos de barrigas inchadas
Gemendo, clamando, estendendo a mão:
São crianças cheias de vermes
Consumidas pelos germes
Chorando, pedindo pão.

Vejo guerras, lutas corporais
Levantando poeira nos quintais
Logo ao amanhecer:
São homens honestos e valentes
Plantando as últimas sementes
Sem saber se vão nascer.

Como é triste e melancólico
Ver o quadro diabólico
Do alto deste morro!
Tudo parece irreal
Enquanto chove no litoral
O sertão pede socorro.
Carlos Melgaço
Enviado por Carlos Melgaço em 07/09/2007
Código do texto: T643030

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Melgaço
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 60 anos
1152 textos (33859 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 00:53)
Carlos Melgaço