Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ISTO NÃO É UMA CANÇÃO DE AMOR (desculpa...poema Misto que escrevi num ataque de saudades...)

A Ti
ISTO NÃO É UMA CANÇÃO DE AMOR

Não me perguntes
A razão
Deste fervor
Que arde não queimando

Isto não é uma canção de amor

Preferia…
Preferia
Ser “apenas” teu Dedicado Amigo
Mas isto que tenho
E não sai
É algo que tenho numa espécie de temporário destino

Não sei se é nódoa
Mancha maligna
Ou algo de belo
De divino
Eu preferia apagar tal
Na impossibilidade
De te ter comigo

Porque anjos e borboletas
Ocuparam o meu imaginário
Quando desnudei esse sentimento
O tirei
Do meu íntimo armário

E não penses que é fácil
Gostar de ti desta maneira
Preferia não gostar
Para a nossa amizade
Duma vez por todas
E para a eternidade simplificar
Não tendo esta contenda
Todos os dias
Uma enorme batalha
Que a perco
Que não a consigo ter ganha

Porque és única
Tens um “quê”
Que não consigo explicar
Trato-te como amigo
Mas é a Ti
Quem estou a Amar

Em ondas de Ternura
Que me envolvem
Num paralelo Universo
Nunca te terei
Isso dilacera-me um bocado
Em mais um verso

Mas prefiro
Um doce
E despreocupado beijo
Do que uma frustrada paixão
Não deixes de dar esse beijo
Quando te apetecer
Sei a validade dele
Não vou fazer dele
Uma complicada e terna confusão

Amigo serei
Sempre
Mesmo
Que escolhas
Outro caminho
Amigo fiel e delicado sou
E gostaria
De assim
Ser teu porto de abrigo

Porque nunca me senti assim
Porque como Amiga me fazes
Uma terrível falta
Lamentando e ficando feliz ao mesmo tempo
Por me dares parte que és
E a parte que não és capaz
Numa luta louca
Que me dá
E rouba a paz

Porque
Inundas
Com o perfume do que és
E dos teus Jardins Encantados
O meu pobre Palácio de Gelo
Que é mesmo
Às vezes tão gelado…

Que eu só consigo aquecer
Quando tenho o calor da tua amizade
Que chega
Muitas vezes, nos nossos bons momentos
O amor
Fazer esquecer

Embora o amor
Talvez seja
A mais pura forma
De sentir essa amizade
Porque gosto de ti
Dessa forma linda e imaculada
Trocando as letras e os sentidos
Chamando-te ao vivo amiga
Mas na escrita
Amada

Porque quero
Que te sintas bem
Quando pensares em mim
Não sentires
Um mundo de contrariedades
Sou o que quiseres
Que seja
Dando-te então
Toda a minha
Portentosa amizade

Por isso hoje te escrevo
Estas mistas linhas de afecto
Quero todo o bem do mundo para ti
Quero
Que não fiques longe
Quero
Que
De mim fiques perto
Aprende
A confiar em mim
Que eu jamais te ferirei
Que eu consigo
Separar as ondas íntimas
Que nos afastam
Pois a tua amizade
Para mim
É dos tesouros mais belos que tenho
És um Altar da Vida
Que necessito ter
Em meu redor
Rezando quando me faltam as forças
E dizendo-te
Terna
Doce
E inocentemente ao ouvido
Isto é uma prova
Da mais pura amizade


Isto não é uma canção de amor


Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 31/01/2007
Código do texto: T364580


Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5488 textos (187203 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/09/20 13:12)
Miguel Patrício Gomes