Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM AMIGO FAZ FALTA               (para minha amiga, Cíntia Melo)

            Este rio que aqui passa
             preguiçoso, sem graça...
                  Não foi sempre assim.
                     Quando eu era guri 
                         e ia pescar lambari,
                             se eu não pescava nada
                                  ele dava risada,
                                       zombava de mim.
                                De pedra em pedra
                           ele pulava
                      enquanto gargalhava
               do meu fracasso.
           Eu o margeava
                  enquanto me afastava
                         e ele seguia meu passo.
                          E ria ria ria...
                               E seu sorriso
                      se manifestava em guizos
                                  até que, cansado,
                                      ele parava e se espraiava
                                            em algum remanso
                               entregando-se a um doce descanso.
                                       Depois, alegremente,
                                                   partia novamente.
                                         Ah, esse rio que passa,
                                  cabisbaixo, sem graça...
                            Não foi sempre assim.
                                   Talvez seja a falta do amigo
                                         que ele perdeu em mim.
                                                   Tenho medo do rio morrer
                                                       e a gente deixar te ter
                                             um rio vivendo na cidade.
                                      Daí, resolvi convidar
                              todo mundo pra se juntar
                      e num abraço de amizade,
                prometer e se comprometer
            a trabalhar para devolver ao rio
                 a sua felicidade.
                        Todo rio merece viver.
                                 Eu vou cuidar,
                                     e você?

silasol
Enviado por silasol em 01/06/2007
Reeditado em 01/06/2007
Código do texto: T510053


Comentários

Sobre o autor
silasol
Sabará - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
677 textos (85030 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/05/21 03:02)
silasol