Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Rio

Curvas de turbulência.
Dor em todas pedra.
Margens que contam estórias
E encantam cidades.

Águas turvas e barulhentas,
Gratuitas até sangrarem.
Espumas que protestam,
Completando manhãs e tardes.

Pontes de ferro e tempo.
Casas de gente pobre.
Homens que fumam estilo,
E tragam tranqüilidade.

Tudo vira correnteza:
Galho seco, mato verde e plástico.
Menos o reflexo da noite,
No poste de eletricidade.

Trem que passa apitando
Amigos que brindam canto e conversa
Meninas sentadas no barranco
Descobrindo os segredos da mocidade.

Tudo é bonito à beira do rio:
Gente que pesca sossego;
Moleque que perde o brinquedo;
Pássaros e flores de gratuidade.

Nele nada se esconde
Até o pequeno arbusto se revela
Rio que inspira beleza
Enche de poesia a amizade.

O belo que se faz água.
Água que se faz vida.
Vida que se faz alegria,
No rio que já se faz saudade...

Mauro José Ramos
Enviado por Mauro José Ramos em 05/10/2007
Código do texto: T681577
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Mauro José Ramos
Caraguatatuba - São Paulo - Brasil, 42 anos
19 textos (735 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 12/12/17 18:08)
Mauro José Ramos