Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BORBOLETAS DE TERNURA

A Ti, Silenciosa mas presente, sempre presente Amiga Sonynha Borboleta, poema vagamente baseado no teu último escrito
                BORBOLETAS DE TERNURA

Por detrás da cortina silenciosa
Pode estar uma Amiga
Que poderás muito bem ser Tu
Para mim das coisas mais preciosas
Esvoaçando aos ventos
As tuas belas asas de Borboleta
Que uma parte do meu “eu” completa
Em

Borboletas de Ternura

Que percorrem todo o campo do que sou
Mas que estás sempre subliminarmente presente
E às vezes
Nem dou pelo tempo que passou…


Fazendo timbrar
A música que tenho dentro de mim
Para Ti
E que nunca irá acabar
Música da mais pura fidelidade
Sinfonia
Dessa coisa linda
Que é a amizade

Pois fazes falta
Nos teus silêncios
E alimentas a  minha alma
Que sobe às mais divinas alturas
Quando sinto
Que me sentes
Recriando-me mais uma vez
Em palavras que achava esgotadas
Mas que se recriam e vislumbram o mais sublime sentimento
Que se pode ver no que sou
No que vou fazendo
Pois para Ti haverá sempre um novo renascer
Uma nova aurora
E ai o Tempo não me magoa
A dor vai embora
Trazendo a doçura contigo
Nelas
Que são Tu
As

Borboletas de Ternura

Miguel Patrício Gomes
Enviado por Miguel Patrício Gomes em 22/10/2007
Código do texto: T704839

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Patrício Gomes
Portugal
5158 textos (173922 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 10:36)
Miguel Patrício Gomes