Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dissonar

Hoje aprendi sobre a palavra carne
Aprendi que se pode rimá-la com sono
E a partir de então, permiti-me rimá-la com o mundo inteiro

Rimei com a primavera, com as ruas e com os quartos
Usei as alianças dos casais como suporte dos primeiros versos
E terminei-os com todo o esmero de todos os livros já escritos

Foi quando cheguei até você,
Por algum motivo maior, a rima parou, estancou e não quis mais andar
A minha carne rimou com tudo e todos, mas a você ela não desejou

Não compreendi direito o porquê, e então insisti em fazer a rima dar certo
Mas nada aconteceu, ficou ali estático o seu nome perto da minha carne

Foi daí que terminei com esses pobres versos,
Foi quando tentei fazer você ficar perto de mim

São assim bem simples, assim como é minha afeição por você
Não se explica com fundamentalismos filosóficos, mas sim pelo tato
É tangível ao toque o quanto quero a você

Acho eu, que cansei de tentar fazer as coisas se encaixarem
Se fosse para a rima dar certo,
Ela já estaria a me esperar para ser feita

Voltei para os meus miseráveis poemas
Para me deparar com todos os meus mais belos versos,
Com o seu verso jogado ao léu do meu calor

E depois de caminhar por todas as vias sem fim da minha insanidade
Cabe a ninguém mais do que eu deixar as palavras como estão e não mais almejar coisa alguma

Vou deixar para os meus outros poemas terminarem o que eu comecei
Assim tão invariavelmente sem pensar, sem prezar, sem amar.
Stephanie Correia
Enviado por Stephanie Correia em 16/04/2009
Código do texto: T1541806

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Stephanie Correia
São Paulo - São Paulo - Brasil, 29 anos
71 textos (3490 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/10/19 21:17)
Stephanie Correia