Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desassossego

Eu sempre tão controlado
Masculino, disciplinado
Orgulhoso em estar seguro,
Em não ficar em cima de muros

Me vejo agora provocado
Num canto, encurralado
Por um negócio engraçado
Isso de estar desassossegado

Toda vez que encosto em você
Vão-se embora paz e sossego
(Será por você também saber
Aplicar um “vem-cá-meu-nego”?)

Toda vez que encostas em mim
Perco todas as esperanças:
É a noite que não vai ter fim
Brincaremos feito crianças
E isso não ficará assim,
Pois entre os dedos em tranças
Na hora do ápice, do gozo
Pousarás seus olhos em mim
E tirarei teu sossego de novo.

Não mandei começar com isso
Não mandei provocar, ser assim
Agora que o desassossego veio,
Assumi como compromisso
Deixar-te louca, do início ao fim
Com pausas, pra beijar-te no meio.
Odemilson Louzada Junior
Enviado por Odemilson Louzada Junior em 29/08/2009
Código do texto: T1781206
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (cite o nome do autor). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Odemilson Louzada Junior
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 45 anos
299 textos (14057 leituras)
1 áudios (33 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/11/19 02:10)
Odemilson Louzada Junior