Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

IMAGINANDO-TE AÍ




Tão só... o mundo se foi, de repente!
Que a dor que me dói, não é dor de gente
É frio que cala, e queima lentamente
Tudo o que é riso, ou desejo ardente!

Sou como que pedaço de coisa fútil!
Inutilidade que é nada, por condição!
E não sabe o porquê de tal razão!

E assim me calo, na desesperança
Que só é solene quando alcança
A dor mais desgraçada, e inútil!


Jorge Humberto
(21:58/Março/22/03)
Jorge Humberto
Enviado por Jorge Humberto em 27/06/2006
Código do texto: T183207

Comentários

Sobre o autor
Jorge Humberto
Portugal, 55 anos
2665 textos (70168 leituras)
22 áudios (950 audições)
13 e-livros (553 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/04/21 21:14)
Jorge Humberto