HOMENAGEM PÓSTUMA

HOMENAGEM PÓSTUMA

Merencória visão de um pretérito arfante,

Sórdida lembrança de um dia amargurado;

Partem duas almas para um reino distante,

Repicam os sinos em anúncio a este fado.

Momentos de fráguas sua mãezinha chora,

Querendo em desútil suas vidas ressuscitar;

Destino atroz! É a conspiração que deflora,

O amor de uma mãe que tanto anelava dar.

O pranto fremente de suas ausências agora,

Faz sentir tão dorido o seu frangível coração,

Saga dos dois filhinhos que por eles ela ora,

No supremo desejo de vê-los em sua oração.

Retratos na parede são saudades de outrora;

Meus anijinhos amados, até outra dimensão!

Rivadávia Leite

Fiz este poema a pedido de uma mãe que perdeu

dois filhos de uma maneira trágica. É em homenagem

a ela que dedico este poema.