Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Veias em verso


O vermelho seco do meu verso é denso.
Por ele escorre em doce fúria, o pranto.
Nele desliza a valsa do lamento,
na veia vil que se revela en-canto.

No meu salão repleto de tristezas,
escuto as árias da melancolia.
Danço sozinha em meio às incertezas,
que bailam bêbadas, lânguidas, vazias...

Mas é tão belo o mágico espetáculo,
que não vislumbro o amanhecer do dia.
Eu permaneço em minha madrugada
cheia de Lua, Nova nostalgia.

E vou sozinha ao centro do universo,
erguendo a taça cheia de esperanças.
E bebo às lágrimas, sabor de alma...
Despedaçada por tua lembrança.
Goimar Dantas
Enviado por Goimar Dantas em 15/02/2007
Código do texto: T382197

Comentários

Sobre a autora
Goimar Dantas
São Paulo - São Paulo - Brasil, 48 anos
35 textos (1461 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/20 15:33)
Goimar Dantas