Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENTRE O CONFUSO E O AVESSO

E assim, tu chegas...
Com um profundo sorriso,
Um largo olhar,
Caloroso beijo e
Saboroso abraço.
Dilacera minha capa,
Nega meu pudor,
Beija minha vida,
Rasga meu sorriso,
Neblina minha razão...
Confunde-me.
Salva-me da sórdida realidade
Pintada de pardo em uma moldura torta.
Leva-me para uma utopia romântica sem limites,
Onde o confuso e o avesso
São apenas tentativas insanas
De expressar meu apreço por ti.
Onde nos amamos com tanta delicadeza
Que deixamos nossas almas se tocarem
E sentirem que apenas nossos corpos nos impedem
De sermos um só.

Escreva teu nome!
Mas escreva com força!
Para que suas letras
Cravem fundo neste corpo
E apaguem as antigas marcas de infames amores
Que um dia me açoitaram.
Criando notas que declamem minha devoção por ti

Mas perturbado pelo silêncio dessa melodia,
E alienado de minha própria alma, suplico:
Ergas o muro mais alto que puder
Para que eu nunca te machuque!
Não digas nenhuma palavra de amor
Para que eu nunca as esqueça!
Prive-me de teus sentimentos
Para que eu não os leve comigo!
E nunca te declares
Para que o meu sentimento
Seja sempre um eco solitário
Implorando por ti.
VERSEIRO REIS
Enviado por VERSEIRO REIS em 27/05/2007
Código do texto: T502718

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
VERSEIRO REIS
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 36 anos
12 textos (1064 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/19 21:04)
VERSEIRO REIS