Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENTRE O CONFUSO E O AVESSO

E assim, tu chegas...
Com um profundo sorriso,
Um largo olhar,
Caloroso beijo e
Saboroso abraço.
Dilacera minha capa,
Nega meu pudor,
Beija minha vida,
Rasga meu sorriso,
Neblina minha razão...
Confunde-me.
Salva-me da sórdida realidade
Pintada de pardo em uma moldura torta.
Leva-me para uma utopia romântica sem limites,
Onde o confuso e o avesso
São apenas tentativas insanas
De expressar meu apreço por ti.
Onde nos amamos com tanta delicadeza
Que deixamos nossas almas se tocarem
E sentirem que apenas nossos corpos nos impedem
De sermos um só.

Escreva teu nome!
Mas escreva com força!
Para que suas letras
Cravem fundo neste corpo
E apaguem as antigas marcas de infames amores
Que um dia me açoitaram.
Criando notas que declamem minha devoção por ti

Mas perturbado pelo silêncio dessa melodia,
E alienado de minha própria alma, suplico:
Ergas o muro mais alto que puder
Para que eu nunca te machuque!
Não digas nenhuma palavra de amor
Para que eu nunca as esqueça!
Prive-me de teus sentimentos
Para que eu não os leve comigo!
E nunca te declares
Para que o meu sentimento
Seja sempre um eco solitário
Implorando por ti.
VERSEIRO REIS
Enviado por VERSEIRO REIS em 27/05/2007
Código do texto: T502718


Comentários

Sobre o autor
VERSEIRO REIS
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 38 anos
12 textos (1064 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/21 10:10)
VERSEIRO REIS