Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Inverno

Enfrentei a bravia contenda
de um sentimento cruel e severo
que me pôs nos olhos a venda
de um frio e longuínquo inverno.

Mas o inverno maior que castiga
este ser tão calmo e valente
é a solidão da alma ferida
que segue, da vida, a corrente.

E a feroz corrente da vida
me guiava, vendado e incapaz.
Eu ouvia a sua cantiga
pedindo um pouco de paz.

Mas se foi a venda maldita
e com ela a tristeza e a dor
finalmente jáz esquecida
a solidão que cegava o amor.

E ilumina-se a alma liberta
das vendas e sombrios grilhões.
Finalmente, no peito, desperta
do amor, as felizes canções.

E a ela eu devo os arranjos
da cancão mais sincera e bela,
pois não há, nem mesmo entre os anjos,
que eu ame, alguém, mais que a ela.
Leandro Flores
Enviado por Leandro Flores em 10/09/2007
Código do texto: T646243

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome e sobrenome do autor e o link para a obra original.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Leandro Flores
Pindamonhangaba - São Paulo - Brasil, 33 anos
6 textos (249 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 15:57)
Leandro Flores