Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MADRUGADA

Chega com a brisa do mar
serenando para refrescar.
Cheiro gostoso do seu perfume no ar.
Ah! Se a madrugada falasse...
Quanta história iria contar.
Cala madrugada, cala.
Fique quietinha para
não revelar nada.
Poupe escandalizar.
Sempre foste amiga.
Serviste de cobertor.
Não pode trair os que
confiam em ti.
Temos sede de segredos.
No frio? Aconchega-nos.
No calor? Suaviza tudo.
Psiu, silêncio para não acordá-la.
Em qualquer fase da lua
abriga, agrega
os verdadeiros amantes.
É magia, minha amiga
madrugada.
Gildete Vieira Sá
Enviado por Gildete Vieira Sá em 22/09/2007
Código do texto: T663184
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Gildete Vieira Sá
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil
1262 textos (28380 leituras)
1 e-livros (114 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 07:52)
Gildete Vieira Sá