Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Avelãs

Não quero falar do amor
Nem da dor, nem mesmo da flor
Rimar ontem com hoje
Ninguém acredita que posso
Nem se eu pudesse
Amanhã é o prato do dia
Os talheres estão expostos
Garfo, faca, boca faminta
Toalha, prato, vinho extinto
Extinto, não. Tinto. Colore a face
Incendeia a veia
Que borbulha quente sobre a mesa.
Noite sem sol. Dia sem lua
À mesa ditam as regras.
Braços no colo
Boca fechada
Fechada?
Ontem fechei, hoje tentei
Amanhã, a febre insana
Enfeita a mesa de avelãs.

Véus

Falaremos de amenas realidades
Não rimaremos ir embora com amora
Nem rimas ricas nem preciosas
Não é todo mundo que importa
Alguns olhos por certo
A manhã de amanhã é hoje, agora
Alma, mente, corpo sedento
Lençóis, pele, desejo a solta
A solta sim. Claro. Iluminando o querer
Latejando o ventre
Que arde úmido sobre o leito.
Sol enluarado. Lua ensolarada
Ao leito nada impõem.
Mãos procurando corpos
Língua sedenta
A procura!
Ontem abri, hoje entreguei
Amanhã sucumbirei
Prostrada nos teus véus.


Avelãs - VestidadeÁgua
Véus - Rose Stteffen

Rose Stteffen
Enviado por Rose Stteffen em 23/09/2007
Reeditado em 21/04/2011
Código do texto: T665586
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Rose Stteffen). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Rose Stteffen
São Paulo - São Paulo - Brasil
1360 textos (178173 leituras)
16 áudios (1782 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 03:14)
Rose Stteffen