Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Nódoa de peito

Lia-te nítida nessa borra
descafeinadamente cálida,
fingida nódoa de você.
Por meio desta (ou disto),
tão santo, tanto e tanto,
com vãos dedos induzia
todo odor do teu corpo e lia-te.

Sombra que marca!

Mancha, pecha, picho,
aqui, em ti, no muro.
Sombra da sombra
branca no escuro óbvio
em que me vejo nublado
da luz do retrato
torneado em névoas
pelo sol do teu rosto.

Sombra que machuca!

Lia-te até onde era
sombra (resíduo meu),
enquanto teu peso e assombro
deitavam pálpebras
em meus sonhos despertos,
que desconfiados de mim
sombreavam e liam tua presença.

Sombra que tatua!


Nesta telenódoa assistimos
(eu e meus sonhos)
aconselhados lábios abusados,
brotos seios eriçados,
pulmões e coração ofegados,
líquidos, fluídos animados,
que te resumiram em uma leitura
ligeiramente  interminável
de sombras de sombra.

Sombra que lambuza!

conheça meu trabalho em www.ideiadejerico.com
André um Jerico
Enviado por André um Jerico em 03/10/2007
Código do texto: T679489

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Andre Barbosa de Oliveira www.ideiadejerico.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
André um Jerico
Monte Santo de Minas - Minas Gerais - Brasil, 47 anos
56 textos (824 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 01:59)
André um Jerico