Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Carateca

A CARATECA
Miguel Carqueija


Dizem que eu sou perigosa
pois sei lutar muito bem;
mas também sou carinhosa,
pura e terna sou também!

Mas sou só uma esportista
quando piso no tatame:
e sigo a dieta à risca,
sem presunto e nem salame!

Eu vejo cada oponente
como se fosse uma irmã;
mas vencê-la tenho em mente
mesmo sendo sua fã!

Mas sou pau pra toda obra
se for pra me defender,
em boa briga eu sou cobra,
você tem que ver pra crer!

Se vier um abusado
me atacando pra valer
vai sair arrebentado,
esse vai se arrepender!

Mas não sou assim tão má,
amo criança e bichinho,
pareço até uma babá,
trato com muito carinho!

Não sei tratar mal ninguém
com quem lido normalmente,
gosto de fazer o bem
e conviver gentilmente.

Não faço mal a uma mosquito,
com velhinhos sou uma flor;
nunca trato alguém no grito,
e o meu lema é o amor.



Queria lhe explicar
como esse esporte é bom;
gosto muito de lutar
e conseguir o ypom!

Descalça sobre o tatame
me movo bem elegante:
— Eu te ganhei, não reclame!
Meu sorriso é radiante...

Kihon, kata, kumite,
tem que saber tudo isso;
só não pode é ter “medite”,
jogar é um compromisso!

Tem que ter força no braço,
muita auto-confiança;
se sentir muito embaraço
finja que é tudo criança!

Sempre é preciso convir
que esta luta é um esporte:
lutamos pra competir,
não é uma vida ou morte!

Pras Olimpíadas, gente,
eu sei que um dia irei;
e voltarei bem contente,
já serei uma sensei!

Que Deus me ajude e me guarde,
que eu sempre só faça o bem;
que eu leve o dom sem alarde,
humilde como convém!

Agradeço aos pais que tenho
pelo apoio que me dão;
por eles também me empenho,
repleta de gratidão!


(13/3/2017)



EVA WILMA – Reportagem:
“Ela tem a Força!”


(Revista CONTIGO – Edição n. 813 – abril de 1991 – reportagem sobre a experiência da atriz com o curso feito com Dr. Lair Ribeiro. Por: Nair Lúcia de Britto)


“Com um único e certeiro golpe de caratê, Eva Wilma quebrou ao meio uma tábua de dois centímetros de espessura. E, pasmem , nem sequer machucou a mão.
Esse foi o ponto alto de um curso que ela fez em São Paulo, onde aprendeu a colocar em prática todo potencial de sua força interior.
-- Até o último momento, embora estivesse confiante, eu achei que não conseguiria quebrar a tábua – confessa a atriz. – Mas é claro que não fiz o curso para aprender karatê: isso exigiria pelo menos um ano inteiro.
A tábua, segundo Vivinha, é um símbolo, uma metáfora. De um lado está tudo que o aluno quer quebrar na vida. E, do outro, o que você almeja. Basta saber treinar a mente para conseguir o que se deseja, ensina o médico brasileiro Lair Ribeiro, professor da Universidade Thomas Jefferson, nos EUA, e responsável pelo curso Excellence and Action, que mudou o modo de ver o mundo, da atriz.
-- De repente, você começa a enxergar com mais clareza caminhos que antes pareciam turvos. Você adquire mais coragem e confiança em si mesma -- ela diz.
Eva Wilma já havia feito outros cursos com o médico. O primeiro foi o “Sintonia”, em setembro de 1990, que ganhou de presente de um amigo e – garante – provocou profunda transformação em sua vida.
-- Estou convencida – por exemplo – que através dele fui motivada a viajar para Alemanha e rever familiares que não via há mais de quinze anos. Era um desejo antigo, mas sempre me faltava coragem.
Carlos Zara (o Jordão, de “Lua Cheia de Amor”) também acompanhou Vivinha, sua mulher, na experiência, e ficou entusiasmado.
-- É muito interessante. Principalmente o curso “Sintonia” porque você tem a possibilidade de encarar melhor a vida profissional e ter um relacionamento bem mais fácil com as pessoas – ele conta.
A descoberta dessa força também está ajudando Eva Wilma e Carlos Zara a terem sucesso em “Love Letters” (Cartas de Amor), em cartaz no Teatro dos Quatro.
Quanto ao futuro, o casal pretende produzir três peças, entre elas duas comédias escritas por Juca de Oliveira e Miguel Falabella. E não esconde a receita de tanto pique.
-- Quem quiser ser alguém na vida tem de estudar – ensina Eva Wilma. – Além disso, é preciso saber usar a imaginação. Pois, como disse Einstein, a imaginação é mais importante que o conhecimento.”

(Nair Lúcia de Britto é jornalista além de poeta, cronista, cordelista e trovadora e mantem excelente escrivaninha no Recanto das Letras.)


(foto e desenho de carateca, pinterest; Eva Wilma, imagem do google)
Miguel Carqueija e Nair Lúcia de Britto
Enviado por Miguel Carqueija em 14/03/2018
Código do texto: T6279191
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miguel Carqueija
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 69 anos
2181 textos (101843 leituras)
45 e-livros (4233 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/05/18 06:22)
Miguel Carqueija