Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ao meu pai...

Era uma vez...

Um dia já era pai...
A vida quis assim, nem havia sido escolha dele, mas era pai e pronto.
Mas ele entendeu que pai não é só aquele que dá bronca,
que puxa a orelha, ou que põe de castigo.
Pai também afaga, dá colo,aconselha, dá beijo.
Pai participa, vibra, sonha!
E aquele, a quem a vida nem dera escolha de querer ser pai,
mostrou que nascera para aquilo,
e nunca houve na vida alguém tão pai quanto ele,
alguém tão homem e tão anjo,
porque pai que é pai
é tal qual  o aconchego do colo de um anjo
livrando-nos do sofrimento e das dores da vida!
Cláudia Marques
Enviado por Cláudia Marques em 13/09/2007
Código do texto: T651362

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Cláudia Marques
Cruzeiro - São Paulo - Brasil, 43 anos
237 textos (159406 leituras)
2 e-livros (109 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/17 08:34)
Cláudia Marques