Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LEMBRANÇAS

Da cadeira de balanço
na varanda da casa,
eu podia ouvir, lá em  baixo,
o murmurar manso
das águas do riacho.
Fechava os olhos lentamente
e imaginava suas correntes,
canção alegre 
para um solo carente
que de ouvir se alegrava
e fecundava a semente.
Imaginava ainda, do riacho,
suas pedras, suas cores,
seus beija-flores, 
a pinguela e os peixes
passando por debaixo dela.
Eu imaginava o que tinha vontade
e quando abria os olhos, 
tudo era de verdade.

Hoje, da janela de um  apartamento,
eu olho a cidade...
Monstro cinzento
expelindo ao vento
seus gases mortais.
Fecho os olhos
e imagino, homens, mulheres, meninos...
Sem varanda, 
sem cadeira de balanço,
sem semente pra plantar
e sem o murmúrio manso
de um riacho pra lembrar
silasol
Enviado por silasol em 19/07/2008
Código do texto: T1088272


Comentários

Sobre o autor
silasol
Sabará - Minas Gerais - Brasil, 69 anos
677 textos (84956 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/04/21 05:32)
silasol