Eterno Entardecer

Era tarde.

Chovia.

Teus verdes olhos não viam

aquele entardecer.

Nem tão pouco sabiam

que as águas que caiam

sobre nós ali,

era a tua saudade

e para sempre, a

teríamos de sentir.

Teu sorriso, um aroma

estampado pelas paisagens,

eram alegres miragens

porém, não se podia ouvir.

O dia te levou tão lento.

Chegou a noite

e com ela o lamento

tão triste não te ter.

Em lugares sonoros,

com rodas de violão.

Lembrança da doce canção,

que exalava dos teu lábios,

brisas sonoras, lânguidas

pelos dias eternos

permanecerão.

Andrea Cristina Lopes - Curitiba/Paraná

AndreaCristina Lopes
Enviado por AndreaCristina Lopes em 12/04/2005
Reeditado em 22/11/2010
Código do texto: T10982
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.