Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Imemorial

Hoje eu vi velhas fotos.
Vi suas mãos quando ainda tinham forças para apertar.
Vi seu sorriso, quando tinha um corpo para o carregar.
E vi velhos planos, que nunca mais se cumprirão

E eu senti tantas saudades...

Tive vontade de ver aquele filme que eu só fingi gostar.
Vontei uma mentirinha, dessas que podem ser contadas...
Pra te agradar.
E tive vontade de ver todos os filmes,
Que eu não vi ao seu lado.
Tive vontade de passar uma tarde sentado
Contando o que já não deixa tempo mais.

E o tempo me traiu.

Vejo imagens de segundos finais
Quando, agarrada na minha roupa,
Com um último olhar,
Não me pedia ajuda...
Agarrava-se ao sopro de vida que ainda havia em mim...
E que se esvaía de você...
E você, um sorriso débil.
Uma dependência febril.

E é estranho assim.
É bagunçado do mesmo jeito.
Dem métrica, sem regra pra rima,
Às vezes, não tem final mesmo,
Nem espaço para um tchau, uma despedida...
E nem sempre sai como a nossa vontade.

Acontece que agora estou mais tranquilo
Sabendo que longe, deve estar melhor do que eu.
Não sei se a saudade é da alma,
Mas tenho saudade da presença
Da esperança...
Da lembrança...

E assim, por mais ainda eu me torture
De tudo aquilo que eu mesmo não fiz,
Há sempre uma esperança que perdure:
Seu nome não seja em marca de giz.
Alê Campos
Enviado por Alê Campos em 25/02/2009
Código do texto: T1456171
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Alê Campos
Uberlândia - Minas Gerais - Brasil, 32 anos
46 textos (1736 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/05/21 18:02)
Alê Campos