Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DA PROA AO CONVÉS

Ai! que saudade que eu tenho,
daquele perfume gostoso,
daquele beijo amoroso,
daquele abraço apertado.
Ai! que saudade que eu tenho,
daquela menina sapeca,
daquele seu jeito moleca,
subindo no alambrado.

Ai! que saudade que eu tenho,
daquele assovio estridente,
com dois dedos entre os dentes,
que hoje não ouço mais.
Ai! que saudade que eu tenho,
Daqueles jogos de cartas,
E daquela mesa farta,
Lá na casa de seus pais.

Ai! que saudade que eu tenho,
daquela conversa gostosa,
De ver-te toda dengosa,
Quando massageava os seus pés.
Ai! que saudade que eu tenho,
daquele amor diferente,
que fazia a alegria da gente,
da proa até o convés.
Fidel
Enviado por Fidel em 19/10/2007
Código do texto: T700514

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Fidel
Itambaracá - Paraná - Brasil, 58 anos
27 textos (5869 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 21:01)
Fidel