Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Naufrágio

Meu amor naufraga nesse mar de sonho:
As noturnas vagas, raios, tempestade...
O meu peito indaga, num olhar tristonho,
se a procela apaga tanta iniqüidade.

Das soturnas plagas vem teu "vento" errante,
corta, como adaga, as velas da saudade
e abre minhas chagas na dor lancinante
que ao meu sonho afaga por pura maldade.

E em teu oceano de lágrimas frias
morro em desengano, sem poder voltar...
Já não faço planos, chego ao fim dos dias
por só ser humano, e não saber nadar...

Lá no fundo escuro hão de achar-me um dia
entre algum monturo; meus "restos" no mar:
"Barco tão seguro, naufragar não ia..."
Mas, no casco, um furo a te denunciar...
Poeteiro
Enviado por Poeteiro em 28/10/2007
Código do texto: T712985
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeteiro
Santos Dumont - Minas Gerais - Brasil
440 textos (10866 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 07:28)
Poeteiro