Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FINADOS

Hoje é finados,
Comemora-se o dia dos mortos
Um dia  não para chorar
Mas para refletir sobre a vida
Os mortos não tem dia
Eles tem a eternidade
Dia temos nós
Que precisamos
Viver
A vida é tão efêmera
Eterna é a saudade

*************************************************
A vida pulsa,
a morte repulsa
A vida avulsa
A morte expulsa

*************************************************

Dói em mim sua ausência, pai
Lágrimas nunca foram suficientes
Meu lago de dor não se evapora
Porque o sol também está ausente

Eu carrego o estandarte da vida
Que escapou de tuas mãos
Sua falta é bigorna no meu peito
Batendo fundo no meu coração

Os sinos do tempo me chamam
Não mais posso reter a partida
Dou-lhe um beijo que nunca te dei
Para selar a amarga despedida
***************************************************
Celio Govedice
Enviado por Celio Govedice em 02/11/2007
Reeditado em 15/08/2008
Código do texto: T720056

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Celio Govedice
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil
1280 textos (70051 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 13:47)
Celio Govedice