Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eterno passado



Tanta gente boa foi embora.
O mundo fica solitário...
Perene, e eu ausente.
Fico na distância d’um olhar...
De esclarecimento,
Onde lembranças doem
Afogando-me de saudades.
São tantos os que se foram,
Pedaço da história
De minha vida, que
Sempre finda...
Quando um se vai.
Não há em minhas reflexões
Diuturnas, luz ou trevas
Que restabeleça o prazer
Que tinha antes.
Hoje me apego aos que tenho.
Ao sopro dos ventos...
Que me abranda o Sol e que
Faz-me correr contra o tempo,
Para cair nos braços
Daqueles que amo
E que me esperam em casa.
E, daqueles que me querem bem
E não podem me esperar...
Fica uma tênue saudade.
Pois, a espera, como desespera!!!
Hoje desesperança é o que sinto
Ao ver meu passado pertencido
Que hoje me separa de tantos.

Vicente Freire – 19/04/2001.
Vicente Freire
Enviado por Vicente Freire em 06/11/2007
Código do texto: T726343

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vicente Freire
Belford Roxo - Rio de Janeiro - Brasil, 63 anos
280 textos (22944 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 04:17)
Vicente Freire