Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Solidão no Ônibus

Entrei no ônibus,
Olhei ao redor,
E para minha surpresa,
Não havia ninguém.

Todos assentos vazios,
Andei, então, pelo corredor,
Fui até o final
E sentei-me, sozinho.

Lá fora, só escutava o barulho
Dos carros acelerados,
Das motos apressadas,
Fazendo gritar o mundo.

Lá fora, na calçada,
Um casal de mãos dadas,
Trocavam beijos e abraços
E eu no ônibus, sozinho, sentado.

"Dane-se o mundo", pensei.
No entanto, quando olhei
Para dentro do ônibus,
Ele era exatamente seu reflexo!

Dezenas de cadeiras vazias,
Que podiam ser preenchidas
Por pessoas na minha vida,
Mas não há ninguém.

Nunca senti uma solidão tão forte
Como aquela que senti,
Naquele ônibus vazio,
Que me fez desejar a morte.

Fez-me querer descer na próxima parada,
No meio da viagem, do caminho,
Mas eu não posso.
Devo seguir até o final,

Mesmo sozinho.

André Espínola
Enviado por André Espínola em 25/02/2007
Reeditado em 25/02/2007
Código do texto: T393243

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
André Espínola
Recife - Pernambuco - Brasil, 35 anos
247 textos (12561 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 28/09/20 16:39)
André Espínola