Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Descobrimentos...

Sentimento este que deixas inquieto meu ser
Toda uma vida voltada a vida de outrém
Este, porém, nem consideras tal adoração
Não obstante, torna-se indiferente aos teus sentires
Fazendo-te pensar se tão nobre sentimento vale a pena

A fadiga de amar-te és óbvia mediante o cansaço da alma
Tanto tempo a idolatrar tal imagem com tamanha altivez
Sacrifícios que faço por tal sentimento divinal
Preces a pedir vossa proteção e felicidade
Diante de todo esse clamor por ti, por todo esse amor

Percebo que não dais o valor aos meus atos e dizeres
Todo que profiro a ti, tu ouves com ironias e indiferenças
Não dando o menor crédito as palavras demasiadamente verdadeiras

Não tenho ódio por ti, nunca odiaria minha razão de viver
Mas por outro lado, odeio-me por amar-te tanto nessa vida
Sou meu próprio algoz, sujeitando -me a um amor improvável
Carregando o fardo de uma vida gris, sem tu, meu alicerce

Diante de tanto desgosto, minha sentença foi dada sem misericórdia
O Juiz chamado destino condenou-me a maior das penas
Pena esta que é o pior caminho para um coração apaixonado:
Vagar pela eternidade da vida a não se ter um grande amor.






Odinóque
Enviado por Odinóque em 07/09/2007
Código do texto: T642646

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Odinóque
São Paulo - São Paulo - Brasil
233 textos (5574 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 03:28)
Odinóque