Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AGORA É TARDE

Arrependo-me tanto
Por chegar tão tarde
E tudo tão composto

Como se era se desfiassem de um manto
Como um fogo que arde
Lentamente em tardes de agosto

Desespero-me ao ver durar o pranto
De mães e filhos em alarde
De guerras, choros e desgostos

Sofro ainda por saber que o tempo
Continua o seu fuir constante
E os homens seguem a gosto

Arrependo-me tanto
De não me ter tirado a vida
E apagar o que existe comigo

Mas alegro-me entretanto
Num sorriso, ironia de fugida,
Ao saber que melhor não consigo.
Gilberto Cardoso
Enviado por Gilberto Cardoso em 29/09/2007
Código do texto: T673722

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gilberto Cardoso
Portugal, 48 anos
91 textos (2874 leituras)
1 e-livros (54 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/12/17 16:32)
Gilberto Cardoso